SHAYOS

Shayos

“Quando vencemos não agregamos quase nada. São nas derrotas que acabamos nos tornando mais fortes.”

– Provérbio Shayo

CARACTERÍSTICAS:

Cabelos: Pretos.

Olhos: Castanhos, Pretos ou Verdes.

Pele: Amarela.

Altura/Peso Médio: 1,64m/64 Kg homens e 1,50m/45 Kg mulheres.

Maturidade: 21 anos.

Estimativa de Vida: 156 anos.

Movimentos: 6 quadrados.

Bônus de Habilidade: +2 Destrezae +1 Sabedoria.

Bônus de Perícia: +2 Percepção, +2 Intuiççao

Paciência Shaya: os Shayos conseguem manter o controle mesmo nas horas mais complicadas; Sempre que estiver em uma situação que imponha redutores, maiores que -1, em um teste de perícia, subtraia um desta penalidade.

Cultura Marcial: Os shayos possuem ataque desarmado como um talento racial.

Audacioso: Os Shayos possuem um bônus de +2 na inciativa caso sem surpreendidos.

Fortaleza Mental: os Shayos recebem um bônus de +2 para resistir a efeitos de medo ou magias de controle mental.

Talento Adicional: Escolha um talento adicional.

Idiomas Naturais: shayês.

Idiomas Adicionais (escolha um): mantaro, rayvodios, berna ou dracônico.

Bônus resistência dos Shayos: +2 Vontade.

Jogue com Humanos shayos se quiser…

  • Ser Equilibrado e Perfeccionista.
  • Ser Ponderado e Auspicioso.
  • Pertencer a uma sociedade de filosofia sábia e honrada.
  • Os Saudidios privilegiam as classes paladino, guerreiro e clérigo.

Os Shayos possuem um gênio arredio e autoritário, mas, apesar disso são dotados de grande humildade. As mulheres shayas são tímidas e reservadas.

Não falam com estrangeiros sem a presença de um homem (pai, irmão ou marido). As crianças apresentam a curiosidade inocente que os adultos guardam dentro de seus corações em relação ao que acontece longe das fronteiras shayas. Eles dificilmente saem de suas terras ou se intrometem em acontecimentos que envolvam o exterior.

Sociedade: A sociedade Shaya é vista pelo mundo como extremamente machista; Além de cultuar a família, os antepassados, seus deuses (que mudam todos seus nomes em relação aos demais povos) e ter um caráter ordenado de trabalho.

Outros fatores que sempre chamam a atenção quando ao que se refere aos Shayos são: a caligrafia diferente (ilustrativa), a arquitetura peculiar, as artes e também os estilos de artes marciais como: o Karatê, o Judô, Sumô e o Aikidô.

Os Shayos se subdividem em mais três povos:

Aynos: a eles se atribui o surgimento dos Shayos no continente. Bravos desbravadores dos mares e veneram a deusa dos mares Qdany e o deus Ray dos ventos. Os Aynos são conhecidos também como as serpente marinhas.

Imushis: os tigres como se auto-intitulam; Vivem especialmente da agricultura e do cultivo e extração de ervas exóticas. Prezam o culto pela deusa Aky-Ram senhora da terra, Orosh-Taw o samurai dragão e Chi-Ram-Wii a deusa Mãe. Os Imushis não são machistas como os demais Shayos e ainda são governados por uma Imperatriz ou Tenno.

Nimons: Auto denominados de “os Dragões”. Eles tramam á séculos unificar os três povos e expandir as terras Shayas. São hábeis guerreiros e ostentam sua superioridade sobre os outros povos e raças. Os deuses venerados pelos Nimons são: Orosh-Taw e Lu-Ram-Li a deusa da ambição.

 

Características dos Shayos: paciente, equilibrado, alinhado, leal, otimista, vingativo, protetor, vigor, flexível, sensato, humilde, espiritualista, competitivo, perfeccionista, teimoso, justo.

 

Nomes Masculinos Shayos: Asai, Askikaga, Asukai, Chosokabe, Daigo, Date, Fukushima, Genji, Hachisuka, Hattori, Heike, Hirohata, Hojo, Honda, Hosokawa, Ichijo, Imaidegawa, Inokuma, Ishida, Jimyoin, Kajuji, Kaoin, Karasuma, Kawashi, Konjo, Konoe, Kuga, Kujo, Maeda, Matsudaira, Miyamoto, Mori, Murakami, Nakayama, Nanba, Nomiya, Oda, Okamoto, Okubo, Ooka, Rakujochigusa, Reizei, Saioji, Sanjo, Shigenoi, Shijo, Shimizudani, Takeda, Takezaki, Takigawa, Tanuma, Tokugawa, Ukita, Watanabe.

 

Nomes Femininos Shayos: Ada, Aka, Aki, Ari, Atsu, Chi, Chika, Fuji, Fumi, Fusa, Fuyu, Hama, Haru, Hide, Hiko, Hiro, Hisa, Hori, Ie, Kage, Kama, Kane, Kata, Katsu, Kawa, Kazu, Kimi, Kin, Kiyo, Kore, Kuni, Kyu, Masa, Masu, Matsu, Michi, Mitsu, Mochi, Momo, Mori, Moro, Moto, Motsu, Mune, Mura, Naga, Nage, Nagi, Naho, Naka, Nao, Nari, Nishi, Nobu, Nori, Oki, Oto, Sada, Saki, Sane, Shige, Sue, Suke, Sumi, Tada, Taka, Take, Tame, Tane, Tatsu, Tera, Teru, Toki, Tomo, Tora, Toshi, Toyo, Tsugu, Tsuna, Tsune, Tsura, Tsure, Uchi, Uji, Uma, Yasu, Yori, Yoshi, Yuki.

 

Vestuário: O típico homem Shayo será encontrado geralmente com as indumentárias: um Kimono é peça mais tradicional e pode ser ainda comum ou yukata, social ou desportivo. Seguido pela Hakama, uma espécie de saia larga que cobre a parte inferior do corpo; ou uma calça do mesmo tecido e cor do Kimono. Geralmente usam sandálias de palha, Waraji, mas podem utilizar também as de madeira, geta;

Já as mulheres utilizam sempre uma yukata mais fina e menor por baixo do Kimono social ou desportivo, ou até mesmo de outra yukata. Calças nunca são usadas entre as mulheres que sempre vestem hakama até os joelhos. Entre os Imushis é permitido até um palmo acima dos joelhos.

Aventureiros Saudidios:

            Segue abaixo três exemplos de aventureiros Shayos:

Takwai, o jovem paladino do reino de Takash, é designado pelo imperador para proteger a filha do general, enquanto este está servindo na guerra. Desapontado com a fácil missão, mas ainda assim leal ao imperador aceita humilde tarefa. No entanto Takwai acaba sendo atacado por um grupo de mercenários ninjas que tentam seqüestrar a jovem. Takwai foge para as dunas Bhalshiras com ela e começa a viver sua primeira aventura.

Yani Hokumaroo é a devotada sacerdotisa do templo do deus dragão Chi-Ram-Wii, o samurai dragão. Encarregada apenas de tarefas simples como limpar o templo e cozinhar para os samurais; Yani retorna para o templo, após breve saída e encontra o local em chamas com todos os samurais assassinados. Ela descobre que isto foi obra dos asseclas da Noite e que um artefato religioso foi roubado do templo. Sozinha, porém confiante, ela decide encarar a cruzada como uma tarefa de Chi-Ram-Wii e parte rumo a sua demanda.

Yokio a guerreira, filha do ladrão “Indomável”, que está sumido há quase uma década, é estigmatizada em todo o reino de Yuden Shaw. Diferente dos seus irmãos que escondem a linhagem maculada, ela encara a todos com bastante veemência, e mantém-se na ilha resgatando desaparecidos no mar. Após um assalto noturno, o cetro da serpente de seis olhos é roubado e Yokio parte em busca deste desafio, pensando em livrar a mácula de sua família. Mas a aventura de Yokio está só começando quando ela descobre que o líder dos ladrões é o “Indomável”, seu pai.

Deixe um comentário

Nenhum comentário ainda.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s